Salta navegação

O Candidato

O PRIMEIRO VOO E A MARCA DO REI

João Noronha Lopes nasceu Benfiquista no Alentejo. O pai levou-o ao primeiro jogo na Catedral, um Benfica-Farense, onde viu Eusébio marcar um golo. Não surpreende que essa memória tenha ficado para sempre.

Naquele tempo o Terceiro Anel ainda estava longe da vista mas perto do coração. Mas cada golo que celebrava no estádio tornava maior a vontade repetir a viagem de centenas de quilómetros a cada quinze dias. O que importava eram as vitórias do Benfica celebradas com o pai e o tio, que desde cedo lhe incutiram a vivência da Mística em família.

 

 

 

 

 



O FUTEBOL, SEJA ONDE FOR

Na sua adolescência, entre 1983 e 1984, João viveu nos Estados Unidos, onde aproveitou para praticar futebol. Competiu localmente e desenvolveu um conhecimento mais profundo da realidade dentro de campo.

O futebol permaneceu como uma paixão, dentro e fora do relvado. Desde que iniciou a sua vida profissional, por mais trabalho que tenha, há sempre tempo para uma partida de futebol.

 

UMA FAMÍLIA BENFIQUISTA

João Noronha Lopes é casado e pai de 4 filhos, todos Benfiquistas como não poderia deixar de ser. Esta autêntica família benfiquista trata a Luz como uma segunda casa. Tem morada fixa nos respectivos lugares cativos e pratica um amor incondicional, celebrado a cada presença no estádio.

Mas não se fica por aí. Muitas das viagens em família organizam-se em função de onde o Benfica irá jogar e esse foi, durante os anos em que viveu fora do país, um tema da maior importância para a família Noronha Lopes sempre que o Benfica jogava. A distância não interessa quando a paixão fala mais alto. Há sempre lugares reservados na bancada para todos. 

 

 

 

 

 

PELO BENFICA, TUDO

Quando o Benfica corria mais perigo, João Noronha Lopes não faltou à chamada e participou de forma decisiva: incentivou Manuel Vilarinho a candidatar-se - como diz o próprio neste vídeo -  e, enquanto Vice-Presidente, ajudou a recuperar o clube e a prepará-lo para novos voos. 

Hoje, quase vinte anos mais tarde, volta a responder à chamada num momento decisivo para a vida do Benfica.

 

UMA CARREIRA FOGUETÃO

João Noronha Lopes iniciou-se na advocacia, tendo trabalhado em dois escritórios diferentes, um dos quais co-fundou. Entrou para a McDonald’s em 2000 e em apenas dois anos tornou-se o CEO da empresa em Portugal.

De seguida, tornou-se responsável pelo sul da Europa e Vice-Presidente em França. Anos mais tarde, passou a Vice-Presidente da Europa, supervisionando operações em 36 países.

 

 

 

 

Em 2013, foi galardoado com o prémio Best International Leader Award, que distingue o melhor líder português a nível internacional.

Ambicioso e determinado, voou ainda mais alto na empresa ao tornar-se chefe mundial do franchising da McDonald’s.

Era esse o seu cargo quando, em 2016, liderou a maior transação de sempre do negócio da restauração na Ásia: a venda de 2.600 restaurantes na China e Hong Kong, que foi uma operação de sucesso, no valor de 2,1 biliões de dólares.

O PRIMEIRO VOO E A MARCA DO REI

João Noronha Lopes nasceu Benfiquista no Alentejo. O pai levou-o ao primeiro jogo na Catedral, um Benfica-Farense, onde viu Eusébio marcar um golo. Não surpreende que essa memória tenha ficado para sempre.

Naquele tempo o Terceiro Anel ainda estava longe da vista mas perto do coração. Mas cada golo que celebrava no estádio tornava maior a vontade repetir a viagem de centenas de quilómetros a cada quinze dias. O que importava eram as vitórias do Benfica celebradas com o pai e o tio, que desde cedo lhe incutiram a vivência da Mística em família.

 

 

 

 

 



O FUTEBOL, SEJA ONDE FOR

Na sua adolescência, entre 1983 e 1984, João viveu nos Estados Unidos, onde aproveitou para praticar futebol. Competiu localmente e desenvolveu um conhecimento mais profundo da realidade dentro de campo.

O futebol permaneceu como uma paixão, dentro e fora do relvado. Desde que iniciou a sua vida profissional, por mais trabalho que tenha, há sempre tempo para uma partida de futebol.

 

UMA FAMÍLIA BENFIQUISTA

João Noronha Lopes é casado e pai de 4 filhos, todos Benfiquistas como não poderia deixar de ser. Esta autêntica família benfiquista trata a Luz como uma segunda casa. Tem morada fixa nos respectivos lugares cativos e pratica um amor incondicional, celebrado a cada presença no estádio.

Mas não se fica por aí. Muitas das viagens em família organizam-se em função de onde o Benfica irá jogar e esse foi, durante os anos em que viveu fora do país, um tema da maior importância para a família Noronha Lopes sempre que o Benfica jogava. A distância não interessa quando a paixão fala mais alto. Há sempre lugares reservados na bancada para todos. 

 

 

 

 

 

PELO BENFICA, TUDO

Quando o Benfica corria mais perigo, João Noronha Lopes não faltou à chamada e participou de forma decisiva: incentivou Manuel Vilarinho a candidatar-se - como diz o próprio neste vídeo -  e, enquanto Vice-Presidente, ajudou a recuperar o clube e a prepará-lo para novos voos. 

Hoje, quase vinte anos mais tarde, volta a responder à chamada num momento decisivo para a vida do Benfica.

 

UMA CARREIRA FOGUETÃO

João Noronha Lopes iniciou-se na advocacia, tendo trabalhado em dois escritórios diferentes, um dos quais co-fundou. Entrou para a McDonald’s em 2000 e em apenas dois anos tornou-se o CEO da empresa em Portugal.

De seguida, tornou-se responsável pelo sul da Europa e Vice-Presidente em França. Anos mais tarde, passou a Vice-Presidente da Europa, supervisionando operações em 36 países.

 

 

 

 

Em 2013, foi galardoado com o prémio Best International Leader Award, que distingue o melhor líder português a nível internacional.

Ambicioso e determinado, voou ainda mais alto na empresa ao tornar-se chefe mundial do franchising da McDonald’s.

Era esse o seu cargo quando, em 2016, liderou a maior transação de sempre do negócio da restauração na Ásia: a venda de 2.600 restaurantes na China e Hong Kong, que foi uma operação de sucesso, no valor de 2,1 biliões de dólares.